O Mandaloriano: resenha (sem spoilers) da fantástica série live action Star Wars

Nesta semana foi lançado o Disney+ lá fora, e muitos tiveram que correr atrás de uma VPN para poderem assinar o serviço e assistir a estreia de O Mandaloriano (The Mandalorian), primeira série live action de Star Wars, uma criação de Jon Favreau, que também assina produção e os roteiros.

Pedro Pascal não chega a tirar a máscara no piloto de O Mandaloriano

Não quero dar nenhum spoiler direto da trama, afinal o novo serviço de streaming da Disney ainda não está disponível por aqui, então vou só dizer o que achei e o que senti assistindo ao episódio, além de alguns detalhes só para dar o contexto do que é a série.

O piloto de The Mandalorian é chamado simplesmente de Chapter 1 (Capítulo 1), e foi absolutamente sensacional, mostrando muito bem o clima da série, que tem um toque de western, na direção, na fotografia e até na trilha sonora, como o Cardoso bem descreveu lá no MB. Não posso deixar de elogiar o trabalho do diretor de fotografia Creig Fraser, que é algo realmente lindo, estamos diante do mais autêntico cinema, mesmo que seja um produto criado para TV.

O piloto de O Mandaloriano foi dirigido por Dave Filoni, criador das ótimas séries de animação Clone Wars e Star Wars Rebels, e surpreendeu até mesmo as minhas mais altas expectativas, apresentando os personagens e situações que nos deixarão grudados na frente da tela até o final de dezembro, esperando ansiosamente pelo próximo episódio semanal.

O prólogo já começa bem animado, nos apresentando o personagem título da série em ação em um mais autêntico bar de Star Wars, repleto de criaturas bizarras e monstros alienígenas, todos muito mal encarados e encrenqueiros. Essa primeira cena também tem um toque de humor, por conta do atorHoratio Sanz (Saturday Night Live), que vive o personagem Mythrol, que faz de tudo para não ser preso pelo mandaloriano.

Assim como Boba Fett, o mandaloriano mais famoso de todos os tempos, ele também é um temível caçador de recompensas, e ali ele já nos dá o seu cartão de visitas. Até o primeiro episódio, ele ainda não tem nome, mas já sabemos que ele atende pelo apelido Mando.

Pedro Pascal é o personagem título de O Mandaloriano

Pedro Pascal ainda não teve a chance de mostrar seus talentos como ator no piloto, afinal ele nem tirou o capacete, mas já tivemos a chance de ver como o elenco de apoio é bom, e olha que vários ótimos atores e atrizes ainda nem apareceram. Carl Weathers (o eterno Apollo Creed da série Rocky) vive Greef Carga, que indica o mandaloriano ao seu novo e misterioso cliente, interpretado por um Werner Herzog bem inspirado.

IG-11 tem participação explosiva no primeiro episódio de O Mandaloriano

Também estão ótimos no primeiro episódio Nick Nolte, que dubla Kuiil, um ugnaught bem ranzinza, e Taika Waititi, que faz a voz do dróide caçador de recompensas IG-11, que tem ótimas interações com o mandaloriano.

Também não faltam os bichos, e uma cena divertida (e bem western) é a que o personagem principal precisa aprender a montar um Blurrg, um ser que foi apresentado nas séries Clone Wars e SW: Rebels.

Um detalhe legal para os fãs mais velhos é que o Mandaloriano enfrenta um monstro marinho com o velho rifle que ficou famoso por ter sido usado por Boba Fett na primeira (ou segunda) vez que o personagem apareceu, no Especial de Natal Star Wars lançado entre os Episódios IV e V, que se depender de Jon Favreau, ainda vai ganhar uma nova edição.

Também temos alguns flashbacks que contam um pouco da origem do mandaloriano, em uma cena em que mostra que ele tem um coração por trás da sua armadura. Eu também achei o plot twist do final do episódio sensacional, mas não vou falar nada sobre ele pra não estragar a surpresa.

Como o episódio dura 40 minutos, ele não tem enrolação nenhuma, é tudo direto ao ponto, algo digno de muitos aplausos. As referências para os fãs de Star Wars são inúmeras e constantes, mas acredito que a série deva funcionar basicamente para qualquer público. As tiradas rápidas que sempre fizeram parte do universo Star Wars também estão presentes nos ótimos diálogos da série.

O mais difícil já foi atingido plenamente pela produção, é visível que a série se passa no universo Star Wars em cada detalhe em cena, e nos diferentes mundos já visitados pelo nosso anti-herói. É claro que nada disso custa barato, e por isto mesmo, O Mandaloriano é uma grande aposta da Lucasfilm/Disney.

Pra quem já tiver assinado o Disney+, aviso que o segundo episódio saiu hoje, ou seja, já temos um bom programa para esse feriado. Esse segundo capítulo da história do mandaloriano será discutido em um próximo texto aqui no DD, e também em um vídeo do Na Manteiga, meu canal de entretenimento, já se inscreveu por lá?

IG-11 e o Mandaloriano trabalham juntos neste primeiro episódio

O Mandaloriano marca um começo muito forte da franquia Star Wars em séries live action, mas não vai ficar sozinho no catálogo do Disney+, já que em breve teremos outra série sobre os rebeldes Cassian Andor e seu robô K2SO de Rogue One, com os atores Diego Luna e Alan Tudyk, isso pra não falar na tão esperada série de Obi-Wan Kenobi com Ewan McGregor no papel principal.

Dá pra ver o quanto a Disney leva sua franquia Star Wars a sério, então fica aqui a minha torcida para eles criem muitas coisas incríveis neste universo, se possível com Dave Filoni e Jon Favreau envolvidos.

Autor: Nick Ellis

Blogueiro de tecnologia e viajante profissional. Geek do Ano 2010!

Compartilhe
/* Track outbound links in Google Analytics */