Zenfone 5 e 5z traz o notch do iPhone X pro Android (ou quase isso)


A Asus lançou o Zenfone 5 e o 5z na MWC ontem na MWC em Barcelona, com um design que lembra muito o do iPhone X, incluindo um notch, que segundo a Asus é 26% mais curto (a bem da verdade, o Zenfone 5 não conta com a câmera FaceID e outros recursos do concorrente, só com os sensores normais e uma das caixas de som). Eu realmente não entendo muito a lógica do design deste notch, acho que não acrescenta muito, mas é algo que só testando no dia a dia. Ainda não usei o iPhone X pessoalmente, mas ouvi relatos de pessoas que se acostumaram rápido com ele, e outras que o odeiam até hoje.

No caso da Asus, felizmente o aparelho tem mais a oferecer do que este polêmico notch. A tela de 6,2 polegadas tem resolução Full HD+ e ocupa 90% da parte frontal. O aparelho tem praticamente o mesmo tamanho do Zenfone 4, mas com uma tela muito maior.

Com vidro e metal coberto por vidro na traseira, e as câmeras na vertical, o aparelho realmente lembra muito o concorrente famoso, mas com pelo menos duas diferenças boas, o leitor de digitais posicionado no meio da parte de trás, e é claro, o fone de ouvido.

Ao se referir ao notch (ou corte superior, pitoco, saliência, bigode, topete ou como mais você o quiser chamar), o chefe de marketing da Asus Marcel Campos apresentou globalmente sua forma de citar diretamente seus concorrentes com apelidos carinhosos, como Fruit Phone X. O celular da “frutinha” e da “motinha”, já são velhos conhecidos de nós blogueiros ou jornalistas de tecnologia brasileiros por muitos outros lançamentos feitos pelo Marcel.

A Asus também bateu muito na tecla da inteligência artificial, chegando a chamar alguns recursos que não são exatamente isto, o que atraiu críticas de vários sites de tecnologia. Desbloqueio de face usando a câmera não é IA, nem a tela se manter ligada enquanto você está olhando, um recurso antigo da linha Galaxy da Samsung.

O AI Charging é um recurso interessante criado para prolongar a vida útil da bateria, carregando até 80% durante a noite, e deixando para carregar os últimos 20% restantes perto da hora usual que o usuário acorda, mas… Inteligência artificial não é isso! A tecnologia AI Ringtone, que ajusta o volume do toque de acordo com o som do ambiente onde você está, também não me parece também nada muito revolucionário, muito menos IA. Novamente, são coisas que eu preciso testar pessoalmente para avaliar com calma.

Uma das coisas que a Asus geralmente acerta é na câmera e o Zenfone 5/5z não é uma exceção. O novo smartphone da Asus com duas câmeras principais de 12 megapixels com sensor Sony IMX363 e abertura F/1.8, além de uma câmera de 8 megapixels para selfies. Com o AI Photo Learning, o Zenfone 5 passa a te sugerir alterações de acordo com as suas preferências, na prática aprendendo o que você gosta mais. Aí sim podemos chamar de inteligência artificial!

Já o ZeniMoji mostra que a Asus não se inspirou na Apple apenas no hardware, mas é um recurso que definitivamente não foi feito para alguém como eu, então realmente não tem sentido eu falar nada sobre ele.

A Asus sempre deu muita atenção ao áudio em seus aparelhos, e o novo Zenfone 5 tem duas caixas de som, incluindo a que eu já citei e que fica no notch. Ele também virá acompanhado por fones de ouvido compatíveis com áudio Hi-Res. Ah, a bateria continua a ser de 3300 mAh, e promete ter boa duração (mas confesso que fico pensando em um futuro Zenfone 5 Zoom, com uma bateria de 5000 mAh).

Os aparelhos não são à prova d’água, um recurso que a Asus resolveu guardar para suas próximas versões. E os preços? Por enquanto a Asus só informou que o Zenfone 5z vai custar a partir de 479 Euros na versão com 4GB de RAM e 64GB de capacidade. Sobre o Zenfone 5, ainda não temos informações.

Também não sabemos quanto eles irão custar no Brasil, muito menos a data de lançamento por aqui, mas temos certeza que pelo menos o Zenfone 5 vem para cá este ano. E aí, você gostou do notch e teria um Zenfone 5 (ou um 5z)?

Autor: Nick Ellis

Compartilhe
/* Track outbound links in Google Analytics */