Galaxy S8 e S8+: saiba como foi o lançamento no Brasil

A Samsung apresentou ontem em um evento em São Paulo os seus novos smartphones topo de linha, o Galaxy S8 e S8+, que contam com uma bela tela que ocupa todos os cantos do aparelho, sem bordas nas laterais, o que resulta em um design muito interessante, com 5,8 polegadas no Galaxy S8 e 6,2 polegadas no S8+.  Infelizmente não estive no lançamento mundial em Nova York, então esta foi a primeira vez que vi os aparelhos ao vivo.

Fiquei muito satisfeito com o design, mas além do fato de que eles são lindos, não posso dar uma opinião definitiva sobre os novos aparelhos, só depois que puder testá-los com mais calma, quando a empresa enviá-los para fazermos um review. A pegada dos novos Galaxy S na mão é ótima, mas sendo 100% sincero como de costume, o S8 pra mim ficou meio pequeno, enquanto o tamanho do Galaxy S8+ é perfeito (essa é uma opinião pessoal, e aviso logo que não sou parâmetro para esse tipo de coisa, pois adoro aparelhos com telas gigantes).

O leitor de digitais foi para a parte de trás do aparelho, enquanto o botão home foi integrado a tela, e passa a ser virtual. A câmera traseira continua a mesma, com algumas melhorias de software, afinal em time que está ganhando não se mexe, né? Já a câmera frontal foi muito melhorada, e agora tem 8 megapixels, foco automático e excelente abertura f/1.7, a mesma da câmera principal.

Por dentro, os aparelhos são idênticos, com 4GB de RAM e 64GB de capacidade. Por algum motivo, a Samsung optou por não lançar modelos com maior capacidade, mas isto pode ser resolvido com o slot para cartões microSD (infelizmente só aceita cartões de até 256GB). O processador usado no S8 e S8+ no Brasil é o Exynos 8895 da própria Samsung, um octa-core de respeito, com até 2.3GHz, deixando de lado o Snapdragon 835 da Qualcomm, usado no mercado dos Estados Unidos. Os dois processadores são feitos no processo de 14nm, mas se ficarmos apenas nos benchmarks divulgados, o processador da Samsung ainda é superior.

Para evitar o que aconteceu com o Galaxy Note 7, a Samsung se dedicou muito para produzir uma bateria realmente segura, com 3000 mAh no Galaxy S8 e 3500 mAh no S8+, e poderia ser maior, mas é o preço que se paga para ter um aparelho mais fino e leve, sem correr os riscos do Note 7. A Samsung também aproveitou um recurso do Note 7, o desbloqueio por íris, que aumenta a sua segurança na hora de usar o smartphone.

Os novos aparelhos topo de linha da Samsung também chegam com seus fiéis escudeiros, os novos modelos do headset Gear VR e da câmera Gear 360, além do simpático Dex, um acessório que permite ligar os aparelhos em um monitor para usá-los como computador. Sim, é um conceito parecido com um dock lançado pela Motorola vários anos atrás, a diferença é que agora os smartphones podem dar conta do recado com tranquilidade. A Microsoft também lançou seu próprio dock para smartphones Lumia.

O assistente Bixby ainda não será lançado em português com o aparelho, mas a Samsung me garantiu que ele está sendo desenvolvido e localizado, mas como se trata de inteligência artificial, não basta apenas traduzir comandos, é preciso que ele compreenda o que está sendo dito e consiga fazer todo o seu processamento em português. Os recursos do Bixby Camera, que mostra resultados de acordo com imagens tiradas pelo aparelho, já estão disponíveis, mas as buscas e comandos por voz em português ainda devem demorar um pouco.

Preços e disponibilidade

Os aparelhos começam a ser vendidos no Brasil no dia 12 de maio, com preços estratosféricos, R$ 3999 pelo Galaxy S8 e R$ 4399 pelo S8+, ou seja, ele custa ainda mais do que os rivais iPhone 7 e 7 Plus (em modelos com maior capacidade). O Gear VR vai custar R$ 799, o Gear 360, R$ 1999 e o Samsung Dex, R$ 649. Gravei um vídeo sobre o evento, que você poderá assistir amanhã no novo canal do DD.

Leia também o post do nosso blog co-irmão, o Meio Bit.

Autor: Nick Ellis

Compartilhe
/* Track outbound links in Google Analytics */