Equipe usa o robô Darwin para o tratamento de crianças com paralisia cerebral

Uma equipe de pesquisadores do Georgia Institute of Technology está usando o simpático robô Darwin no tratamento de crianças com paralisia cerebral, autismo ou algum tipo de trauma cerebral. O DARwIn-OP (Dynamic Anthropomorphic Robot with Intelligence–Open Platform) é uma criação da empresa coreana Robotis, e pode ser programado para várias funções.

A líder do projeto é a Dra. Ayanna M. Howard, que diz que o papel do robô no tratamento é continuar os exercícios quando a criança for pra casa, fazendo basicamente as mesmas tarefas que seriam feitos por um clínico no hospital. O objetivo não é substituir os médicos e especialistas humanos, e sim complementar o tratamento.

Nos testes, a captura de movimentos das crianças foi feita com um Kinect, e o Darwin ou elogia o paciente pelo movimento bem feito, ou então demonstra na hora qual é o movimento correto. No momento estão sendo feitos alguns testes com crianças com paralisia cerebral, e a grande maioria dos pacientes estão conseguindo seguir as instruções dos robôs.

Nas palavras de Ayanna Howard: “Um dos maiores problemas com a terapia é que as crianças não estão tendo o bastante. Para ser efetivo, você precisa fazer todo dia.” Além das crianças, ela também acha que os robôs podem ser usados com idosos, lembrando de tomar o remédio na hora certa e a realizarem seus exercícios diários.

Infelizmente esta versão Darwin não é mais produzida pela Robotis, mas eles têm muitos outros robôs incríveis que ainda vou mostrar aqui na seção de robótica do DD, como o Robotis Mini, uma versão portátil do Darwin.

Via MIT Technological Review e Digital Trends.

 

Autor: Nick Ellis

Compartilhe
/* Track outbound links in Google Analytics */