Uma visita a “fábrica verde” da Coca-Cola na ensolarada Maceió

foto-fabrica

A Coca-Cola convidou o DD para uma visita a sua fábrica na bela e ensolarada cidade de Macéio, Alagoas. A fábrica é chamada de “verde”, pois tem consumo mais baixo de água gasto na produção de cada litro, além de contar com arquitetura com detalhes como telhas transparentes para aproveitar os recursos de luz natural para poupar energia.

A fábrica Solar Br foi construída em 2010 dentro dos padrões do LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), mas ainda não foi certificada. Em uma conversa via Skype, Marco Simões, VP de Comunicação e Sustentabilidade da Coca-Cola Brasil, disse que o pedido deve ser feito no ano que vem.

O executivo contou que a meta da empresa é chegar a 2020 com 1,5 litro de água gasto por cada litro de refrigerante produzido, ou seja, não apenas dentro da garrafa, mas também no processo de limpeza da fábrica e dos caminhões. A Coca-Cola procura sempre repor a água gasta participando ativamente de projetos de reflorestamento e também de apoio e geração de renda para comunidades que vivem em florestas, que garantem o seu sustento e se tornam peças fundamentais para evitar o desmatamento.

Marco Simões também não fugiu das perguntas polêmicas, como a presença do corante Caramelo 4, que contém 4-metilimizadol ou 4 MEI, também presente em agrotóxicos, e que pode provocar câncer em doses elevadas (ou seja, muito maiores do que as presentes nas latas ou garrafas). A Coca-Cola mudou o modo de fabricação do refrigerante na Califórnia para se adequar as leis locais, que iriam incluir um aviso sobre a presença do 4 MEI na embalagem. O executivo diz que a empresa irá fazer o mesmo no resto do mundo ou então o refrigerante da Califórnia será alterado novamente, pois é preciso manter uma única fórmula global da Coca-Cola.

foto-fabrica2

A fábrica de Maceió conta com três linhas de produção, uma para latas e as outras para garrafas de PET e vidro. O nível de automação é impressionante, e a máquina só precisa de um ou dois funcionários que ficam de olho em qualquer eventualidade. Infelizmente isto significa menos empregos, mas também um nível de cuidado que torna impossível o caso do absurdo hoax do roedor, tão popular em compartilhamentos nas redes sociais por aquelas pessoas que clicam antes de pensar.

Se você tem alguma dúvida disso, o vídeo abaixo mostra como funciona o processo de produção e como é o ambiente da fábrica.

Saiba mais sobre a fábrica de Macéio no site do Instituto Coca-Coca Brasil.

Conheça também o canal de sustentabilidade do DD, sempre recheado de gadgets ecológicos!

 

Disclaimer: O Digital Drops viajou para Maceió a convite da Coca-Cola, mas este post não é um publieditorial.

Autor: Nick Ellis

Compartilhe
/* Track outbound links in Google Analytics */